Evitando erros de interpretação no Google Analytics

Problemas no Google Analytics podem ocorrer em algumas contas devido às próprias configurações da ferramenta ou, às vezes, por bugs momentâneos. A consequência negativa desses imprevistos é que o gestor acaba obtendo dados pouco consistentes e interpreta os relatórios de maneira equivocada.

Ao fim, os resultados demonstrados tornam-se confusos e incompatíveis com o projeto de otimização criado, levando ao gestor a se perguntar: “o que houve aqui?”. Para evitar tais problemas, acompanhe alguns detalhes que devem ser analisados antes de qualquer interpretação:

Erros de amostragem

Relatórios de anúncios e landing pages podem apresentar métricas contraditórias, dependendo do filtro aplicado. É comum que um mesmo relatório demonstre resultados inflados em 2,6 vezes quando analisados por filtros distintos.

O Google afirma que esse problema é causado por bugs da ferramenta e já está trabalhando para revertê-los. Por enquanto, resta aos gestores compreenderem que essa discrepância nos dados não condiz com a realidade dos resultados.

Dados do funil nem sempre são confiáveis

Se o gestor de otimização não souber preencher corretamente os dados para análise do funil ou não conseguir segmentá-lo de acordo com o foco do projeto, os resultados podem não ser confiáveis.

Isso porque, quanto maior for o funil, menor é precisão aplicada pelo Google Analytics, considerando que ele irá preencher automaticamente algumas etapas vagas no “trajeto virtual” do usuário, sendo impossível saber quais páginas foram realmente visitadas e quais foram apenas preenchidas.

O ideal é ter um conhecimento profundo sobre a taxa de rejeição (bounce rate), para utilizar essa métrica de forma satisfatória. Assim, as referências do funil podem ser alinhadas às informações de bounce rate para obtenção de conclusões verídicas.

Tráfego de Webmail

Muitas vezes, o Google Analytics pode contabilizar o acesso ao link do site, vindo de uma newslleter por e-mail como “Referral”, mesmo que a origem real do tráfego tenha sido a newsletter. Isso ocorre quando o destinatário abre o conteúdo dentro do navegador, como é feito frequentemente no Gmail e Yahoo.

Para evitar inconsistências nos resultados de tráfego, a solução é utilizar o Criador de URL, adicionando parâmetros de rastreamento em cada campanha com newslletter ou outros tipos de link.

Essas são algumas falhas passíveis de ocorrência dentro do Google Analytics. Outros problemas podem surgir caso o gestor não possua conhecimento técnico suficiente para analisar os dados e transformá-los em insights valiosos ao projeto de otimização. Fique atento!


quanto-custa-marketing

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *