Buyer Personas

Estratégias fundamentadas em coletas de dados de clientes e prospects vêm ganhando espaço no marketing digital, especialmente as que se alicerçam no conceito de buyer personas. Poucos, porém, sabem sua verdadeira definição, como devem ser aplicadas e, antes disso, criadas de forma correta.

O que são buyer personas e como criá-las?

São projeções pontuais dos clientes em potencial de uma empresa, produto ou serviço. Como o próprio nome indica, trata-se de uma “personagem” criada para representar o perfil de determinados clientes e ajudar a empresa a entender as necessidades de quem busca por sua marca.

Embora sejam várias as aplicações de buyer personas, nas esferas de marketing digital elas são utilizadas para embasar as estratégias de conteúdo. A meta é responder às dúvidas mais prováveis do cliente em potencial ou informá-lo sobre como um produto ou serviço pode ajudá-lo no dia a dia.

A construção delas, no entanto, merece um olhar apurado, pois muitos acabam se equivocando e criando perfis com base em meras suposições e palpites. Trata-se de um erro, uma vez que é imprescindível realizar pesquisas e entrevistas junto ao público, identificando assim, apenas critérios fatuais e características comportamentais.

Um dos pontos indispensáveis para alcançar excelentes perfis é detectar os problemas, reclamações ou soluções mais citados, encontrando fatores determinantes para uma mesma demanda de conteúdo. Nessa etapa é válido abrir mão de quaisquer detalhes irrelevantes, mantendo o foco na resolução do problema da persona.

O excesso de perfis também pode ser uma falha tática. O ideal é criar poucas personas, de acordo com a necessidade da empresa, sempre priorizando definições precisas e conteúdos bem trabalhados, com o objetivo de alcançar o sucesso por meio da qualidade e não da quantidade.

Lembre-se de que a buyer persona é uma ferramenta indicada para quem deseja produzir conteúdo relevante e, sobretudo, bem direcionado. E com o dinamismo do mercado, a construção de perfis não significa o fim do trabalho de marketing, mas, na verdade, o início dele.

Portanto, é necessário realizar constantes “manutenções” com entrevistas periódicas – a cada dois meses, por exemplo –, para identificar eventuais mudanças nos perfis comportamentais e acompanhar cada uma dessas transições, ao longo do período de estratégia.

[layerslider id=”6″]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *