eras-do-marketing

O que é marketing? Marketing é a atividade, conjunto de instituições e processos para criar, comunicar, entregar e trocar ofertas que tem valor para os consumidores, clientes, parceiros e sociedade em geral.

A grande responsabilidade do marketing é identificar as necessidades de um público e entender a melhor forma de satisfazer cada uma delas.
Derivada da palavra inglês “market” que significa mercado, em português, marketing pode ser definido também como “mercadologia”, o estudo de causas, objetivos e resultados que são produzidos em função das diferentes maneiras que o consumidor lida com o mercado. Em resumo, é um conjunto de estratégias e técnicas que visam agregar valor à marcas, empresas, produtos ou serviços, imprimindo uma maior relevância das mesmas para o público definido.

O que é marketing segundo Kotler?

Philip Kotler, um grandes nomes do marketing, certa vez definiu:

“Marketing é a ciência e a arte de explorar, criar e entregar valor para satisfazer as necessidades de um mercado-alvo com lucro. Marketing identifica necessidades e desejos não realizados. Ele define, mede e quantifica o tamanho do mercado identificado e o potencial de lucro.”

O marketing segundo Kotler envolve identificar e satisfazer as necessidades do seu público-alvo gerando lucro. Pergunte sempre: o que seu cliente quer? Qual atributo do seu produto ou serviço é relevante? Como posso produzir minha oferta, utilizando tecnologia e desenvolvimento, para adequa-las as necessidades do meu cliente?

  • Seu cliente procura qualidade técnica?
  • Preço?
  • Facilidade de uso?
  • Disponibilidade?
  • Atendimento?

Eras do Marketing

O marketing surgiu junto com a Revolução Industrial lá pelo século XVIII, e a grande maioria dos autores de livros acerca desse tema, descrevem o desenvolvimento histórico do processo dividido em Eras.

Era da Produção

A primeira Era do Marketing aconteceu até meados de 1925, sendo conhecida como a Era da Produção. Baseada no princípio de que produtos realmente bons se venderiam naturalmente, a preocupação era investir tempo e esforços somente em técnicas, qualidade e preços acessíveis, pois através disso, acreditava-se que os próprios consumidores iriam até as fábricas adquirir as mercadorias.
Contudo, em razão de uma produção desenfreada, as empresas acabaram obtendo acúmulo de estoque, uma vez que a oferta se tornava superior a demanda. Foi nesse momento que eles perceberam que os produtos de fato não eram capazes de se venderem sozinhos e então surgiu a Era de Vendas.

Era de Vendas

Com 25 anos de duração – entre 1925 e 1950 – a Era de Vendas tinha como objetivo principal liquidar toda aquela produção armazenada nos estoques. Para obter compradores, os fabricantes então passaram a focar mais nas vendas, e foi nesse momento onde o marketing e a publicidade tiveram sua primeira fusão: ela passou a estar presente em todas as ações, no intuito de ajudar a concretizar a venda daqueles produtos. A questão é que nessa época já existiam os concorrentes, e conforme a publicidade se tornou um diferencial entre fabricantes, eis que surgiu a Era do Marketing.

Era do Marketing

Depois de tantas ações fracassadas anteriormente, as empresas começaram a considerar a importância das informações sobre o mercado, como ponto principal na hora de definir o planejamento da linha de produção. Essa Era teve início nos anos 50, durando até o começo dos anos 90, sua ideia era produzir algo que o público de fato desejasse, e não apenas qualquer tipo de produto. Nesse estágio, o foco já não era mais simplesmente captar novos clientes, mas sim, fidelizar os existentes. Compreendeu-se que mais importante do que conquistar um novo, era saber manter os atuais, estimulando-os para que eles sempre voltassem a realizar outras compras. Partindo dessa premissa surgiu o atual Marketing de Relacionamento.

Era do Relacionamento

A Era que reconhece que o maior chefe de uma empresa é o cliente, e que é ele quem faz a demissão mais importante: a do seu negócio. A Era do marketing de relacionamento vem ganhando cada vez mais força, especialmente pela inclusão da grande maioria das empresas na internet – ferramenta essa que facilitou muito a maneira como cliente e instituições se comunicam. Hoje o fator de maior relevância que uma empresa deve levar em conta, não se trata só de números e conversões, mas como ela lida com seus próprios clientes, como compreende a necessidade de cada um deles e como atende às suas dúvidas. Afinal, são eles os grandes responsáveis pelo sucesso da mesma, e levando em conta o quanto a concorrência se mostra cada vez mais acirrada, somente um bom marketing de relacionamento é capaz de fidelizar e manter os clientes interessados.

Os 4 P’s do Marketing

Também conhecidos como Marketing Mix, os 4P’s do marketing são os pilares básicos para qualquer estratégia de marketing. Sendo eles: produto, preço, praça e promoção.

• Produto

É aquilo que você pretende ofertar. Nesse “P” deve-se compreender os atributos definidos do produto ou serviço que você pretende lançar no mercado. Não se trata apenas de uma descrição técnica sobre o seu produto, mas de uma compreensão sobre o seu objetivo:

– Que tipo de necessidade ele pretende atender?
– Como ele pode ser consumido ou utilizado?
– Quais são suas características físicas? (Cor, tamanho, estilo)
– Quais são seus diferenciais comparado a produtos ou serviços semelhantes já existentes?

• Preço

Não tem segredo. Esse P descreve o valor a ser cobrado por seu produto ou serviço e também como será cobrado, uma vez que esse fator interfere em diversos outros aspectos financeiros de uma empresa.

Esse ponto exige algumas respostas:
– Qual o valor do seu produto ou serviço?
– Qual o comportamento do seu público-alvo com relação ao preço? Existe algum limite ele esteja disposto a pagar?
– Qual é a percepção acerca do seu preço em comparação à concorrência?

• Praça

Aonde seu produto ou serviço será comercializado? Como o seu cliente poderá chegar até você? Pensando em lojas físicas que são literalmente situadas em locais específicos – diferente dos e-commerces – é necessário responder algumas questões como:

– Onde seu público-alvo costuma ir buscar por produtos ou serviços semelhantes aos seus?
– Se tratando de lojas físicas, que tipos de lojas ele costuma frequentar?
– Se tratando de e-commerce, por onde ele costuma converter?

• Promoção

Esse aspecto envolve as estratégias que farão parte da divulgação do seu produto. Não se trata de uma liquidação e nem de valores com descontos, o termo “promoção” se refere a como sua marca será promovida. Em como o que você vende vai se tornar a solução de um problema ou necessidade de um cliente.

E também exige algumas perguntas para norteá-lo:
– Quais os melhores meios de comunicação para oferecer seu produto ou serviço aos clientes?
– De que forma seus concorrentes têm se promovido? Como essas ações impactam em seu negócio?
– Caso você trabalhe com produtos e serviços de grande movimentação em sazonalidades, como você pretende aproveitar essas respectivas datas?

Os tipos de Marketing

Você sabia que existe o marketing ideal para fazer um negócio dar certo? Pois é! Por isso é importante identificar cada um deles e analisar em qual deles investir para que sua empresa cresça, conquiste mais clientes, fidelize-os e faça sua marca ir mais longe. Conheça alguns tipos de marketing:

Marketing Direto

Com base em informações específicas do público-alvo, como sexo, aniversário, idade, interesses, entre outros, são enviadas mensagens diretas para esses usuários. Geralmente isso acontece através de e-mails, mensagens e – muito pouco hoje em dia – ligações.

Marketing Indireto

Com aparições sutis em filmes, jogos, seriados e novelas, o marketing indireto promove uma marca em situações onde o foco dos consumidores está em outro ponto. Quando você assiste um filme e no meio de uma cena, um personagem aparece bebendo uma Coca-cola, aí está o marketing indireto. Afinal, vai dizer que você automaticamente não sente vontade de beber uma também?

Endomarketing

É um marketing “para dentro”. As ações de endomarketing têm como responsabilidade promover novidades e cativar os próprios membros de uma equipe. Vale lembrar que o endomarketing pode até não trazer retornos financeiros diretamente, mas influenciam na motivação, produtividade, engajamento e melhoram o clima organizacional, o que de certa forma interfere indiretamente nesse aspecto.

Marketing Social

Não se trata apenas de simpatia ou caridade, quando grandes empresas decidem apoiar e patrocinar projetos culturais como shows, palestras, filmes, peças de teatro ou determinadas instituições. Isso se chama marketing social e ele tem o poder de gerar uma imagem positiva e agradável perante o público, fazendo com que a marca/empresa em questão ganhe sua confiança e simpatia.

Marketing de Oportunidade

Você tem uma empresa de bicicletas e de repente, uma crise de falta de combustível começa assolar o país. Pronto: uma oportunidade perfeita para que você possa oferecer seu produto, lembrando ao público o quão importante seria ter uma bicicleta como um meio de transporte alternativo enquanto o carro não sai da garagem. Mas, vale lembrar que o marketing de oportunidade deve ter bom senso e de forma alguma ser ofensivo, afinal, seria totalmente inviável fazer marketing com uma situação de tragédia, por exemplo, não é mesmo?

Marketing Digital

Surgido lá pela década de 90, o marketing digital mudou a forma das empresas promoverem seus negócios. Com o mesmo objetivo do marketing padrão, o marketing digital utiliza da internet e uma porção de ferramentas específicas, para alcançar metas e também para mensurar resultados. Se no marketing tradicional, uma empresa poderia panfletar para divulgar a inauguração de um restaurante de comida árabe, e depois, não conseguir identificar de onde a maioria dos clientes vieram, no marketing digital é possível não só mensurar através de quais canais esses visitantes descobriram o restaurante, como também segmentar para que somente interessados em comida árabe o visitem, por exemplo.

Marketing de Conteúdo

Existem milhões de pessoas que precisam do seu produto e nem sabem. E qual a melhor forma de fazer com que elas reconheçam isso? Através do marketing de conteúdo! Com o passar do tempo, gerar conteúdos relevantes para o público se tornou cada vez mais necessário, afinal, eles têm o poder de educar os consumidores. Se você vende capinhas para celular, apenas oferecê-la aos clientes muitas vezes não resolve, mas divulgar um conteúdo que mostra como essas capinhas podem proteger um aparelho de danos, pode ajudar no processo de convencimento.

Marketing de Relacionamento

Como já mencionamos anteriormente, o marketing de relacionamento é um compilado de ações que impactam para um relacionamento positivo entre a empresa e seus consumidores. Quanto mais acolhido, lembrado e principalmente diferenciado/exclusivo o seu cliente se sentir, mais estreita pode ser a relação e isso tem seus benefícios, é claro. Se você recebe constantemente e-mails marketing de ofertas, promoções, mensagens de aniversário, ou dicas de uma empresa de colchões, por exemplo, quando a necessidade de adquirir um novo produto desses surgir, é bem provável que você recorra à essa marca, e não a concorrente.

Conceitos sobre marketing

Conheça alguns dos principais conceitos de marketing:

  • Conceitos centrais do marketing.
    • Entenda as necessidades, desejos e demandas.
    • Defina um mercado.
    • Crie um posicionamento e segmentação.
    • Analise o ambiente do marketing.
    • Analise seu mercado e sua indústria.
  •  Planos de marketing
    • Estude o que é valor para seu cliente.
    • Crie um plano estratégico.
    • Faça uma análise PEST.
    • Faça uma análise SWOT.
  • Previsão da demanda
    • Avalie registros internos.
    • Cruze dados internos com dados externos.
  • Pesquisa de marketing
    • Entenda seu cliente a fundo.
    • Pesquise o comportamento do consumidor.
  • Gere fidelidade
  • Crie brand equity – Desenvolva sua marca.
  • Observe os concorrentes.
  • Desenvolva produtos, serviços e categorias.
  • Saiba precificar.
  • Faça uma boa escolha de canais
    • Integração e sistemas
    • Gerencie conflitos
    • Treinamento e atendimento
  • Faça promoções com inteligência
  • Avalie novos mercados

O profissional de marketing

Um bom profissional de marketing antes de mais nada precisa ter uma visão extremamente analítica. Isso porque os números permeiam a profissão como um todo e é importante saber considerar quais métricas são mais relevantes de acordo com cada tipo de cliente ou ação.
Esse profissional deve ter bem claro em sua mente o seguinte processo:
Analisar – Planejar – Executar – Mensurar
Qualquer ação de marketing deve partir dessas premissas. É preciso analisar o cenário no intuito de identificar quais são as necessidades e desenhar os objetivos de uma ação, depois, planejar cada uma das etapas e como elas serão executadas (isso inclui desde ferramentas, passando por investimentos e profissionais envolvidos), em seguida vem a execução, a hora de colocar a mão na massa e começar a fazer o projeto acontecer, e claro, mensurar os resultados obtidos através de todo esse processo. É com base neles que os próximos passos a serem tomados ou descartados serão definidos.

Uma opinião sobre “Marketing”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *